sexta-feira, 23 de novembro de 2018

terça-feira, 20 de novembro de 2018


O NAFAN promove na próxima sexta-feira  mais uma sessão de estudo para todos os Árbitros da Associação de Futebol de Beja. 


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Sede com Mobiliário

A sede do Núcleo já se encontra equipada com mobiliário.

Deixamos o nosso agradecimento ao Beja Atlético Clube que nos cedeu 2 secretárias, 12 cadeiras e um armário metálico. Material usado mas todo ele em excelentes condições.









segunda-feira, 5 de novembro de 2018

APAF na Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol

                                           

Exmo. Senhor Presidente da Assembleia geral da FPF na sua pessoa cumprimento a mesa. 

Exmo. Senhor Presidente FPF, Caríssimos Diretores da FPF, Caros Conselheiros do Conselho Justiça, Conselho de Disciplina, Conselho de Arbitragem e Caros Presidentes das Associações Distritais, Associações de Classe, caros Delegados, meus senhores, minhas senhoras
 
- A minha intervenção em nome da APAF e dos delegados da arbitragem da prestigiada assembleia visa demonstrar a nossa tristeza por mais uma serie de agressões que continuam a acontecer fim de semana após fim de semana.

- A arbitragem distrital está a ficar delapidada pouco a pouco e duvido que todos nós estejamos a fazer tudo o que podemos.

- Todos nós estamos cientes que este problema resulta da sociedade atual, uma sociedade onde valores como o respeito e a educação, vão perdendo o seu sentido e significado por tão pouco utilizados que são.

- Nós, Família do Futebol temos sido exemplo na sociedade em muitos casos, e por isso, devemos fazer os possíveis e impossíveis para terminar de vez com estes atos cobardes que vão destruindo esta família no seu local mais puro e mais importante, as bases.

- Não nos podemos esquecer que estes jovens que são agredidos, esmurrados e feridos na sua honra podiam ser NOSSOS FILHOS ou NOSSOS NETOS, ou será que nós fazemos parte desta família, mas não queremos que os nossos filhos e netos façam parte dela??? 

- Deixo algumas notas para que todos possamos pensar um pouco …

- Sabem porque é que o nosso País é tão procurado ao nível do Turismo? Sim. Isso mesmo, por sermos um País seguro e sermos um País de Campeões, entre outras valências de luxo que temos neste pedaço do globo.

- Mas já que sabemos receber tão bem os outros, porque tratamos tão mal os nossos?

- Peço desculpa, mas continuamos a fazer de conta que nada se passa no nosso futebol, continuamos a desvalorizar o que continua a afastar as pessoas do futebol … 
A VIOLÊNCIA.

- Não nos estamos a esquecer do quanto é difícil tirar um jovem dos computadores e dos telemóveis ?não nos estamos a esquecer que nestas últimas gerações temos lutado e iremos lutar contra um concorrente de peso que são os jogos online, onde os nossos jovens não precisam de ir para o hospital por se lesionarem ou ficarem sem 70% de audição como foi o caso de um dos jovens de 17 anos que foi agredido na passada semana, basta clicar e começar novo jogo?

- Nós infelizmente, nesta nossa realidade não temos o Game Over e Start Again, temos sim, por cada situação destas, uma desistência direta e mais uma série de jovens que fogem da nossa nobre atividade ao verem o ocorrido com o amigo.

- Eu não querod e forma nenhuma, aproveitar estas autênticas vergonhas com que nos deparamos semanalmente, em benefício próprio na defesa da classe que represento, quero apenas que este motivo não seja mais um dos que teimam em afastar os jovens desta nobre atividade.

- Mas por favor, também não escondam o real problema, é hora de o erradicar, sem Show Off e com toda a efetividade possível.

- Como sabem a Comunicação é uma arma que, utilizada profissionalmente, serve para valorizar o insignificante ou banalizar o grave, mas infelizmente a Comunicação não sara as feridas nem cura as dores.

- Não podemos esconder o que é factual, mesmo que as agressões sejam 0,001% do número de jogos, não podem ser vistos como números apenas, têm de ser vistos como perda do movimento associativo, estamos a falar de pessoas, de crianças, de jovens que a muito, muito custo de dezenas de pessoas de forma gratuita, tentam trazer e manter a Arbitragem por esses distritos fora, para  depois aparecerem estes “cobardes” que com atitudes que envergonham os seus filhos, mandam para o lixo todo o trabalho realizado com paixão e dedicação.

- TODOS NÓSinvestimos dinheiro nestes jovens, desde o recrutamento á retenção, precisamos e queremos todos e mais houvesse, mas fim de semana após fim de semana, continuamos a deitar dinheiro fora, porque não estamos a investir, estamos a gastar!

- Uma agressão é um ato cobarde e os cobardes tem de ser punidos, estes não são dignos de fazer parte do movimento associativo e muito menos do desporto.

- Milhares de pessoas de bem acompanham, fim de semana após fim de semana, iniciativas desportivas e colocam de pé milhares de jogos, por todas estas pessoas de bem, devemos eliminar os detratores, os arruaceiros que apenas têm como objetivo ser na maior parte das vezes o centro das atenções perante os outros, mas que não passam de frustrados da vida, e como temos visto não é a desvalorizá-los que os vamos conseguir eliminar.

- Não podemos apenas criticar e não apresentar soluções, a verdade nua e crua é que não temos a solução milagrosa nem certeza que as nossas ideias possam resultar, mas de uma coisa temos a certeza, não estamos a fazer tudo.

- Temos de penalizar desportivamente os agressores, quando é o caso, temos de mostrar à sociedade quem são, temos de tornar público as suas punições de forma que seja dissuasor.

- Não podemos querer esconder as punições ou não valorizá-las ,só porque são uma percentagem diminuta, ou porque queremos mostrar que na minha associação as coisas não acontecem, por favor isto não é um problema da Associação A ou B é um problema da nossa Família e na nossa Família, o que podemos condenar, vamos condenar sem vergonhas sem medos, vamos punir rápido, exemplarmente e divulgar, vamos dar o exemplo á sociedade como temos feito noutros momentos.

- É incompreensível que se leve anos a julgar estes comportamentos, é inexplicável que existam juízes a desvalorizarem agressões a um árbitro, é incompreensível juízes dizerem em pleno julgamento que 700 euros é um valor razoável para compensar uma agressão. 

- É inadmissível que quando exista força policial, esta não assuma que vê uma agressão porque os elementos que a compõem já sabem que têm de ir testemunhar nos dias das suas folgas.

É igualmenteinadmissível que tenhamos apenas duas ou três dezenas de pessoas proibidas de entrar nos estádios de futebol, sei que não é responsabilidade nossa, mas temos a obrigação de exigir das entidades competentes outra efetividadeTrata se de limpar e dar exemplo no nosso futebol.

- Desculpem mas é inconcebível que se continue a banalizar a função de segurança ou PCS nos mais diversos jogos, colocando nessa função pessoas com dificuldade ou com passado recente de agressões a árbitros, não podemos aceitar que continuem a existir jogos organizados por vós e com árbitros nomeados sem que exista algum elemento responsável pela segurança.

- Fazemos todos parte da mesma família, então porque não somos minimamente unidos e ajustamos um Regulamento de Segurança uniforme com os mesmos princípios e que seja naturalmente adequado a cada realidade, é inadmissível que dentro da mesma Família os regulamentos disciplinares sejam tão díspares e com sanções tão diferentes, desculpem-me, mas uma agressão é uma agressão seja ela em que ponto do País for! 

- O Policiamento obrigatório (que incompreensivelmente perdemos em 2012) iria minimizar muitos destes problemas, principalmente para punir os infratores. Sabemos que não deixariam de existir agressões como se viu este sábado num jogo onde mais uma vez um jovem de 17 anos foi agredido, mas por estarem presentes as forças policiais a agressora foi detida de imediato e já esta manhã foi presente a tribunal.

- Devemos lutar por um desporto que não tenhamos de ter polícia???  Sim. Concordo. Mas por favor não podemos querer terminar com as ratoeiras enquanto existirem ratos, primeiro elimina se os ratos depois sim eliminam-se as ratoeiras, não só porque os ratos não morrem como ainda por cima procriam em grande escala.

- Por favor, façam um favor ás vossas competições, no mínimo, tenham segurança, de preferência forças policiais, não havendo nem uma nem outra, não nomeiem árbitro, pois amanhã, pode ser o vosso filho ou neto!

Será difícil exigir aos clubes segurança ou responsabiliza los quando existe problemas. Se têm problemas, desta gravidade, num jogo, obriguem-no a colocar policiamento até ao final da época, é incómodo? é necessário? é injusto? E não será injusto um Árbitro ser cobardemente agredido e ninguém conseguir identificar ou dizer que foi o agressor…

 - Não posso aceitar ouvir alguns de vós a dizer que o árbitro é fraco, até se pôs a jeito etc..., por favor, se acham que não tem qualidade, e é provável que possa acontecer estas situações, não os deixem ser vossos árbitros, é preferível do que os colocarem nestas situações apenas pela vossa necessidade de “matar” jogos.

- Pior ainda é que muitos destes agressores, pais e mães, continuam a ser protegidas por diretores e clubes que recebem subsídios camarários que provêm dos nossos impostos para que os seus filhos usufruam deste fantástico desporto que os pais teimam em mataros filhos não têm culpa... mas se os pais não são dignos... os clubes que os proíbam de estar nos recintos desportivos ou a partir do momento que tenham estas cobardes atitudes, tomem uma atitude e retirem-lhes os subsídios que muitos usufruem.

- Em pouco mais de 2 anos, 80 agressões no futebol e futsal, várias reuniões, várias iniciativas, várias tentativas de ações falhadas por falta de união, muito esforço de várias pessoas incluindo da FPF na pessoa do Presidente Fernando Gomes e alguns de vós, mas infelizmente o resultado prático foi muito pouco.

- Não posso deixar de demonstrar o nosso desagrado por na Assembleia Geral da FPF para retificação do regulamento disciplinar da LIGA, a APAF e os delegados da arbitragem terem sido os únicos a votarem contra o referido regulamento, por entendermos que o referido regulamento foi pouco ambicioso, deveria ter sido mais punitivo e exemplar no que diz respeito á perda de pontos e jogos á porta fechada pois como todos sabemos os bons e maus exemplos no futebol vêm de cima.  Se queremos mais punição na base a de referência tem de ser isso mesmo, de referência.
 
- Várias ideias surgem nestas alturas para combater esta vergonha, mas nenhuma tem o mínimo de força se não for tomada em união, consciência e vontade por todos NÓS, Árbitros, Associações Distritais, Associações de Classe, Liga, FPF e Governo.

- BASTA, pois fazemos todos parte deste jogo

- Parar temos de parar, mais que não seja, com estes comportamentos pois a falta de segurança efetiva também implica na adulteração da verdade desportiva

- Nós queremos um futebol limpo pois foi por esse que nos apaixonámos!
 
Luciano Gonçalves
Presidente APAF    
29/10/18

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

# Sessão de Estudo F11

Sessão de estudo na próxima Quinta-Feira 1 de Novembro (Feriado) com o Arbitro Assistente da Liga (AAC2) Luís Diogo


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

# Árbitros em acção

Várias gerações de árbitros.....dentro e fora de campo.

Parabéns ao Miguel Ramos pela sua estreia com Arbitro em jogos de Futebol 11.









quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Novo e-mail


Informa-se que o NAFAN têm um novo endereço de E-mail que susbstitui o anterior nafan2015@hotmail.com.


           nafan2018@hotmail.com


terça-feira, 9 de outubro de 2018

Encontro Nacional de Árbitros Jovens



Decorreu no passado fim de semana em Braga o Encontro Nacional de Árbitros Jovens.

O Conselho de Arbitragem da A.F. Beja esteve representado pelos árbitros Ricardo Graça, Ivan Martins, Leo Alves, Leandro Guerreiro e Miguel Ramos que foram acompanhados pelo Presidente do C.A. Luis Cabral e Manuel Custódio da Comissão Técnica.

De realçar o brilhante desempenho do nosso associado Ricardo Graça o qual ficou em 4º lugar entre mais de 100 participantes.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Newslleter APAF

A Direção da APAF vem, por este meio, desejar as maiores felicidades aos Orgãos Sociais, recentemente empossados, do Núcleo de Árbitros de Futebol Armando Nascimento de Beja, do Núcleo de Árbitros de Futebol da Guarda, do Núcleo de Árbitros de Futebol de Porto de Mós e do Núcleo de Árbitros de Futebol Albicastrenses.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

PROVAS ÁRBITROS FUTSAL A.F. BEJA

Decorreram no passado fim de semana as 1ª provas Classificativas da época para os árbitros de Futsal da A.F. Beja.




























sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Resultado das Eleições


Decorreu ontem a A.G. com vista á eleição dos Orgãos Sociais para o próximo biénio.

Compareceram 20 sócios eleitores sendo eles:

1 - João Crujo
2 - José Teodósio
7 - Edgar Gaspar
8 - Pedro Crujo
11 - Fábio Carapuça
12 - Cristiano Bexiga
13 - Hugo Simão
14 - Adão Henriques
15 - José de Sá
17 - Jorge Fontes
18 - João Martins
19 - Emanuel Camilo
37 - Mário Burrica
38 - Ricardo Diogo
49 - Luís Ralha
64 - Jorge Sousa
69 - Jaime Vieira
70 - Luís Diogo
73 - Rute Ferreira
74 - Miguel Figueiredo

Após a abertura da Urna foram contados os votos e foi publicado o resultado da votação pelo presidente da Assembleia Geral na presença dos Candidatos à Presidência da Direcção de ambas listas.





Com um percentagem de 60% contra 40% foi eleita a Lista A

Seguir-se-á a tomada de posse da nova Direcção em cada a acordar.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Listas Candidatas

Serão estas as duas as listas candidatas aos Orgãos Sociais em votação no dia 20/09/2018

Lista A

Assembleia Geral;
Presidente: José Teodósio Q.Q.
Secretário: Jorge Fontes
2º Secretário. Francisco Pereira

Direcção;
Presidente. José de Sá
Secretário: Emanuel Camilo 
Tesoureiro. Rute Ferreira
Vogal: Luís Diogo
Vogal: Adão Henriques
Suplente: Ricardo Diogo
Suplente: Miguel Figueiredo

Conselho Fiscal;
Presidente: Fábio Carapuça
Secretário: Mário Burrica
Relator: Mário Janeiro 


Lista B

Assembleia Geral: 
Presidente - João Barbeiro
Secretário - João Crujo
2º Secretário - Hugo Simão

Direcção:
Presidente - Pedro Crujo
Secretário - Filipe Gomes
Tesoureiro - Artur Janeiro
Vogal - João Martins
Vogal - Cristiano Bexiga
Suplente - Jorge Sousa
Suplente - João Sousa

Conselho Fiscal:
Presidente - Vitor Rocha
Secretário - António Pardal
Relator - Luís Ralha